A EXTENSÃO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO

Nathália L. N. de Carvalho, Francielle C. Nogueira, Carlos Alberto Pereira

Resumo


As universidades devem obedecer ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. O investimento na extensão é decisivo para que se afirme o compromisso social da universidade com a construção de uma sociedade socialmente justa, que respeite a diversidade, livre de todas as formas de opressão ou discriminação. Porém, pode-se observar que as universidades não se encontram nessa definição na prática. Por isso, o presente trabalho buscou registrar e relatar as diversas mudanças observadas nos números de projetos da Universidade Federal de Ouro Preto, e em especial, dos departamentos de engenharia e arquitetura. Essa pesquisa ocorreu com o levantamento de dados dos projetos, no período de 1993 a 2013. Os resultados, mediante uma análise quantitativa e qualitativa, mostraram que os projetos de extensão atuais (2013) tiveram um aumento de 113,85% comparados ao ano de 1993. Houve mudanças no sistema de extensão, como a extinção de prestação de serviços e convênios em 2006. No Brasil, a criação do Congresso Brasileiro de Extensão Universitária levou a normatização da extensão. Através do Congresso, pôde-se observar também a de alguns programas, como o ProExt cultura e depois o ProExt MEC, fontes significativas de recursos para o fomento da extensão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2447-8091