A violência contra a mulher: análise sobre a realidade ouro-pretana e a criação do projeto de extensão Ouvidoria Feminina Athenas

Rainer Bomfim, Barbara Helen Abreu Valadares, Leticia Rech

Resumo


O trabalho é a apresentação de forma geral sobre os tipos/formas de violência que as mulheres sofrem na cidade de Ouro Preto, sob uma análise dos Processos Administrativos Disciplinares que ocorrem na Universidade Federal de Ouro Preto e outros casos que demonstram a realidade vivenciada pelas mulheres.  Para isso parte-se de uma premissa geral, que é a realidade brasileira e a forma como as mulheres são tratadas na sociedade, utilizando-se da perspectiva da ‘violência simbólica’ trabalhada por Pierre Bourdieu (2002) e a cultura do silêncio trabalhada por Paulo Freire (1987). Além da explanação do projeto de extensão Ouvidoria Feminina Athenas que pretende auxiliar as mulheres que forem vítimas de alguma forma de violência na cidade de Ouro Preto. A metodologia adotada pelo trabalho foi a revisão bibliográfica e estudo de casos. 


Texto completo:

PDF

Referências


ANGELO, Pedro. Estudante agredida em república se diz revoltada. G1, 24/02/2016. Disponível em: Acesso em 10 de Abril de 2017.

ASCOM – Ouro Preto. Ouro Preto conquista delegacia da mulher. Disponível em: Acesso em 10 de Abril de 2017.

AVON, Instituto. Violência contra a mulher no ambiente Universitário. 2015. Disponível em: Acesso em 10 de Abril de 2017.

BAHIA, Alexandre Gustavo Melo Franco de Moraes; GARCIA, Luiz Carlos; BOMFIM, Rainer. Sistema de repúblicas federais e a institucionalização do preconceito na Cidade de Ouro Preto. In: II Congresso de Diversidade Sexual e de Gênero. 2017, Belo Horizonte. Anais do II Congresso de Diversidade Sexual e de Gênero. Vol. 1. Belo Horizonte: Initia Via.

BERNER, Vanessa Batista; MELINO, Heloisa. O necessário enfrentamento ao machismo nas universidades. Revista Cult, n. 203. 26 de julho de 2015. Disponível em: .

BRASIL. Lei nº 11.340 de 7 de agosto de 2006.

BOURDIEU, Pierre. A Dominação Masculina. 2 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

CANTELLI, Paula Oliveira. O Trabalho Feminino no Divã: Dominação e Discriminação. São Paulo: LTr, 2007.

CRUZ, Álvaro Ricardo de Souza. O Direito à Diferença – As Ações Afirmativas como Mecanismo de Inclusão Social de Mulheres, Negros, Homossexuais e Pessoas Portadoras de Deficiência. Belo Horizonte: Arraes Editores, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17ª ed. RJ: Paz e Terra, 1987.

MONTENEGRO, Marilia. Lei Maria da Penha: uma análise criminológico-crítica. Rio de Janeiro: Revan. 2015.

GODINHO, Thainá Angélica Alves. Políticas de Assistência à Moradia Estudantil Universitária: a experiência do sistema de autogestão das repúblicas federais de ouro preto. Monografia Final de Curso apresentada ao Departamento de Direito da UFOP sob a orientação da Profa. Dra. Tatiana R. de Souza. Ouro Preto, 2016.

GOUGES, Olympe de. Declaração dos direitos da mulher e da cidadã, 1791. Disponível em: . Acesso em 10 de Abril 2017.

OCKRENT, Cristine. Princípios Universais para além das culturas e das crenças. 2013. Disponível em: . Acesso em 25.04.2017.

PINHEIRO MACHADO, Rosana. As faces do machismo nas universidades. Carta Capital, 11.08.2015. Disponível em Acesso em 11 de Abril de 2017.

RAGO, Margareth. A Aventura de Contar-se: feminismos, escrita de si e invenções da subjetividade. Campinas: Editora da UNICAMP.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO. Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários. Modalidades de moradia institucional. Disponível em: . Acesso em 10 de Abril de 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2447-8091