UMA ESTÉTICA DA PRESENÇA: HANNAH ARENDT COMO ESTETA

Daiane Eccel

Resumo


Hannah Arendt não é uma teórica da estética, mas antes, como conhecido de todos, da política. Isso não significa, no entanto, que elementos estéticos, relacionados à problemática da arte, do gosto e da beleza, estejam ausentes do seu trabalho. Mas ao contrário, o objetivo do artigo é apontar para estes aspectos e indicar em qual contexto do seu framework se encontram suas considerações mais importantes a respeito da estética. Para isso, partimos da ideia que a Estética, enquanto ciência filosófica que investiga a arte e o belo, lida com três problemas fundamentais ao longo da sua história: i) a relação entre arte e natureza, (ii) a relação e a arte e o homem e iii) a função da arte. Nossa hipótese de trabalho é que todos os três aspectos são, de alguma forma, problematizados na obra de Arendt e nosso objetivo consiste em investigar onde se encontram e qual sua importância para o framework da autora.


Palavras-chave


Hannah Arendt; Political Philosophy; Aesthetics; Work of Art; Culture.

Texto completo:

PDF

Referências


ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. 5 ed. Trad.: Alfredo Bosi. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ARENDT, Hannah. A vida do espírito: pensar, querer e julgar. Trad.: César A. de Almeida, Antônio Abranches, Helena Martins. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

______________. Conferencias sobre la filosofía política d e Kant. Trad.: Carmen Corral. Buenos Aires: Paidós, 2009.

_______________.A condição humana. 11. ed. Trad.: Roberto Raposo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

_______________.Sobre a revolução. Trad.: Denise Bottmann São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

BERTHEAU, Anne. Das Mädchen aus der Fremde: Rezeption – Reflexion – Produktion. Bielefeld, 2016.

HAHN, Barbara; KNOTT, Marie L. (org). Von den Dichtern erwarten wir Wahrheit. Berlin: Matthes & Seitz Berlin, 2007.

HEUER, Wolfgang (org.). Hannah Arendt: Text + Kritik. München: Text + Kritik, 2005.

PACHET, Pierre. Die Autorität der Dichter in einer Welt ohne Autorität. IN HEUER, Wolfgang; LÜHE, Irmela von der (org). Dichterisch denken: Hannah Arendt und die Künste. Göttingen: Wallstein Verlag, 2007, p.62-69.

SCHILLER, Friedrich. A educação estética do homem: numa série de cartas. Trad.: Roberto Schwartz e Márcio Suzuki. 4 ed. São Paulo: Iluminuras, 2002.

SJÖHOLM, Cecilia. Doing Aesthetics with Arendt: how to see things. New York: Columbia University Press, 2015.

VON DER LÜHE, Irmela. Über Hannah Arendts Gedichte. In ARENDT, Hannah. Ich selbst, auch ich tanze: die Gedichte. München: Piper Verlag, 2015, p. 87-112.

VONWINCKEL, Annette. Hannah Arendt und die bildende Kunst. In HEUER, Wolfgang; LÜHE, Irmela von der (org). Dichterisch denken: Hannah Arendt und die Künste. Göttingen: Wallstein Verlag, 2007, p. 97-108.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Artefilosofia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ArteFilosofia - Publicação Semestral

Revista de Estética e Filosofia da Arte do Programa de Pós-graduação em Filosofia - UFOP

ISSN: 2526-7892 (on-line)

ISSN: 1809-8274 (impresso)

Qualis CAPES: B1 (Filosofia)

Endereço de contato: artefilosofia.defil@ufop.edu.br 

ArteFilosofia – Biannual Journal

Journal of Aesthetic and Philosophy of Art. Graduation Program on  Philosophy – UFOP

ISSN: 2526-7892 (on-line)

ISSN: 1809-8274  (print)

Qualis CAPES: B1 (Philosophy)

Contact: artefilosofia.defil@ufop.edu.br