ENTRE AS PALAVRAS E AS IMAGENS TÉCNICAS: VILÉM FLUSSER E WALTER BENJAMIN

Rafael Miguel Alonso

Resumo


A partir da premissa de Siegfried Kracauer de que o prazer estético experimentado pela massa nos espetáculos de superfície é legítimo e de que é possível compreender uma época a partir das suas manifestações desprezadas e desprezíveis, o objetivo deste ensaio é o de analisar os entendimentos de Walter Benjamin e Vilém Flusser a respeito da relação entre as imagens técnicas e as formas de conhecimento. A reflexão parte do pressuposto de que ambos vislumbram, apesar de um vigilante pessimismo, uma forma crítica de pensamento, via técnica. O caráter superficial das imagens sintéticas também não se afastaria do aspecto projetivo e fragmentado de uma estrutura de pensamento imaginativa e não cartesiana. De todo modo, a possibilidade de um uso político e poético das imagens depende, nos dois pensadores, da interposição da palavra. Nos termos de Flusser, a tarefa é responder à pós-história com as armas da história.


Palavras-chave


técnica; superfície; conhecimento; epistemologia; Flusser; Benjamin

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor. “O estranho realista”. Notas de literatura. Trad.: Celeste Aída Galeão e Idalina Azevedo da Silva. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1973.

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? E outros ensaios. Trad.: Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos, 2009.

ARENDT, Hannah. Eichmann em Jerusalém. Um relato sobre a banalidade do mal. Trad.: José Rubens Siqueira. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e Filosofia da Linguagem. 12 ed. São Paulo: Hucitec, 2006.

BARTHES, Roland. Elementos de Semiologia. Trad.: Izidoro Blikstein. São Paulo: Cultrix, 2006.

__________. A Câmara Clara. Nota sobre a fotografia. Trad.: Júlio Castañon Guimarães. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BATAILLE, Georges. O nascimento da arte. Trad.: Aníbal Fernandes. Lisboa: Sistema Solar, 2015.

BENJAMIN, Walter. “A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica”. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad.: Sergio Paulo Rouanet. 7 ed. São Paulo: Brasiliense, 1994, pp. 165-196.

__________. “O Surrealismo. O último instantâneo da inteligência europeia”. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad.: Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994, pp. 21-35.

__________. “Sobre alguns temas em Baudelaire”. Charles Baudelaire um lírico no auge do capitalismo. Trad.: José Martins Barbosa e Hemerson Alves Baptista. 1 ed. São Paulo: Brasiliense, 1989, pp. 103-149.

__________. “A imagem de Proust”. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad.: Sergio Paulo Rouanet. 7 ed. São Paulo: Brasiliense, 1994, pp. 36-49.

__________. “Pequena história da fotografia”. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad.: Sergio Paulo Rouanet. 7 ed. São Paulo: Brasiliense, 1994, pp. 91-107.

BUCK-MORSS, Susan. “Estética e anestética: o ‘ensaio sobre a obra de arte’ de Walter Benjamin reconsiderado”. Trad.: Rafael Lopes Azize. Outra Travessia, n. 33, agosto-dezembro de 1996, pp. 11-41.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Trad.: Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

FLUSSER, Vilém. Filosofia da caixa preta. Ensaio para uma futura filosofia da fotografia. São Paulo: Annablume, 2011.

__________. Há futuro para a escrita?. Trad.: Murilo Jardelino da Costa. São Paulo: Annablume, 2010.

__________. “Nossa comunicação”. Pós-história. Vinte instantâneos e um modo de usar. São Paulo: Annablume, 2011.

__________. “A Bienal e a fenomenologia”. In: O’Estado de São Paulo, 2 de dezembro de 1967.

__________. “Sobre a palavra design”. O mundo codificado. Por uma filosofia do design e da comunicação. Trad.: Raquel Abi-Sâmara. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

__________. “Da flauta de Pã”. O’Estado de São Paulo, São Paulo, 22 de fevereiro de 1964.

__________. Fenomenologia do brasileiro. Em busca do novo homem. Rio de Janeiro: Eduerj, 1998.

__________. Vampyroteuthis Infernalis. São Paulo: Annablume, 2011.

__________. Natural:mente. Vários acessos ao significado de natureza. São Paulo: Annablume, 2011.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. Trad.: Laura Fraga Sampaio. 21 ed. São Paulo: Loyola, 1996.

GASSET, Jose Ortega y. A ideia do teatro. Trad.: J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2014.

GINZBURG, Carlo. ¨Sinais: Raízes de um paradigma indiciário¨. Mitos, emblemas e sinais. Morfologia e história. Trad.: Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. pp. 143-179.

HANSEN, Miriam. “Benjamin, cinema e experiência: A flor azul na terra da tecnologia”. Benjamin e a obra de arte. Walter Benjamin et al. Trad.: Marijane Lisboa e Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012, pp. 205-255.

KRACAUER, Siegfried. “O ornamento da massa”. O ornamento da massa. Ensaios. Trad.: Carlos Eduardo J. Machado e Marlene Holzhausen. São Paulo: Cosac Naify, 2009. pp. 91-104.

__________. “Culto da distração”. O ornamento da massa. Ensaios. Trad.: Carlos Eduardo J. Machado e Marlene Holzhausen. São Paulo: Cosac Naify, 2009. pp. 343-348.

LOVECRAFT, H. P. “Notas sobre a escritura de contos fantásticos”. O chamado de Cthulhu e outros contos. Trad.: Guilherme da Silva Braga. São Paulo: Hedra, 2012.

MONDZAIN, Marie-José. A imagem pode matar?. Trad.: Susana Mouzinho. Lisboa: Nova Veja, 2009.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível. Estética e política. Trad.: Mônica Costa Netto. São Paulo: Editora 34, 2009.

__________. “Paradoxos da arte política”. O espectador emancipado. Trad.: Ivone C. Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2012, pp. 51-81.

REICH, Wilhelm. A função do orgasmo. Problemas econômico-sexuais da energia biológica. Trad.: Maria da Glória Novak. 18º edição. São Paulo: Brasiliense, 1994.

ROUANET, Sérgio Paulo. “As passagens de Paris”. As razões do Iluminismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1987, pp. 37-109.

CARTAS

Carta de Vilém Flusser a Mira Schendel, de 22 de setembro de 1980. Inédito. Vilém Flusser Archiv.

Carta de Vilém Flusser a Dora Ferreira da Silva, de 29 de julho de 1970. Inédito. Vilém Flusser Archiv.

Carta de Vilém Flusser a Miguel Reale, de 17 de junho de 1988. Inédito. Vilém Flusser Archiv.

Carta de Vilém Flusser a Theodor Adorno, de 23 de novembro de 1966. Inédito. Vilém Flusser Archiv.

Carta de Vilém Flusser a Benedito Nunes, de 31 de outubro de 1966. Inédito. Vilém Flusser Archiv.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Artefilosofia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ArteFilosofia - Publicação Semestral

Revista de Estética e Filosofia da Arte do Programa de Pós-graduação em Filosofia - UFOP

ISSN: 2526-7892 (on-line)

ISSN: 1809-8274 (impresso)

Qualis CAPES: B1 (Filosofia)

Endereço de contato: artefilosofia.defil@ufop.edu.br 

ArteFilosofia – Biannual Journal

Journal of Aesthetic and Philosophy of Art. Graduation Program on  Philosophy – UFOP

ISSN: 2526-7892 (on-line)

ISSN: 1809-8274  (print)

Qualis CAPES: B1 (Philosophy)

Contact: artefilosofia.defil@ufop.edu.br