Belo natural e reconciliação: reflexões a partir da estética de Theodor W. Adorno

Franciele Bete Petry

Resumo


O trabalho tem como objetivo refletir sobre a relação entre os conceitos de “história natural” e “belo natural” a partir da teoria estética de Theodor W. Adorno. Além disso, o texto procura discutir, a partir de tais conceitos, como surge nas obras de arte um potencial cognitivo e um teor de verdade capaz de tornar a arte um modelo de reconciliação. Partindo do conceito de história natural, busca-se mostrar que Adorno compreende as obras de arte como artefatos capazes de imitar o belo natural, expressando uma relação não-violenta com a natureza e, por isso, transcendendo sua existência empírica. Desse modo, apresentam uma imagem reconciliada da natureza, uma vez que permitem sua expressão ao combinarem na estrutura da própria obra elementos miméticos e racionais. Além disso, tais elementos permitem a crítica da realidade, pois a imagem de reconciliação que aparece nas obras denuncia a desproporção entre essa aparência e a impossibilidade de sua existência social, conservando-se, porém, nas obras como utopia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista ArteFilosofia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ArteFilosofia - Publicação Semestral

Revista de Estética e Filosofia da Arte do Programa de Pós-graduação em Filosofia - UFOP

ISSN: 2526-7892 (on-line)

ISSN: 1809-8274 (impresso)

Qualis CAPES: B1 (Filosofia)

Endereço de contato: artefilosofia.defil@ufop.edu.br 

ArteFilosofia – Biannual Journal

Journal of Aesthetic and Philosophy of Art. Graduation Program on  Philosophy – UFOP

ISSN: 2526-7892 (on-line)

ISSN: 1809-8274  (print)

Qualis CAPES: B1 (Philosophy)

Contact: artefilosofia.defil@ufop.edu.br