Crítica cultural e sociedade unidimensional

Robespierre de Oliveira

Resumo


A crítica cultural da “Escola de Frankfurt” não se resume apenas à questão cultural ou artística, tampouco pode ser considerada “pessimista” ou “elitista”. A crítica cultural relaciona tanto a crítica à cultura quanto à sociedade, do mesmo modo que Marx mostrou a relação entre a produção material e a reprodução espiritual da sociedade. É desta maneira que Benjamin elaborou sua crítica ao cinema, Adorno cunhou a expressão “indústria cultural” e Marcuse a “dessublimação repressiva”. Benjamin constatou a afecção da experiência pelas novas tecnologias de reprodução cultural. Adorno apontou a regressão da audição no fenômeno da distribuição musical, mas poder-se-ia estender a noção para a regressão dos sentidos. Marcuse também elaborou a “perda” com o conceito de “dessublimação repressiva” apontando para a sociedade unidimensional. As mudanças na sociedade contemporânea mostram os limites da crítica cultural frankfurtiana, mas, ao mesmo tempo, revelam sua atualidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista ArteFilosofia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ArteFilosofia - Publicação Semestral

Revista de Estética e Filosofia da Arte do Programa de Pós-graduação em Filosofia - UFOP

ISSN: 2526-7892 (on-line)

ISSN: 1809-8274 (impresso)

Qualis CAPES: B1 (Filosofia)

Endereço de contato: artefilosofia.defil@ufop.edu.br 

ArteFilosofia – Biannual Journal

Journal of Aesthetic and Philosophy of Art. Graduation Program on  Philosophy – UFOP

ISSN: 2526-7892 (on-line)

ISSN: 1809-8274  (print)

Qualis CAPES: B1 (Philosophy)

Contact: artefilosofia.defil@ufop.edu.br