ONTOLOGIA DA ARTE: DA ANÁLISE CATEGORIAL À NARRATIVIDADE HISTÓRICA

Debora Pazetto Ferreira

Resumo


O objetivo deste artigo é investigar a análise categorial de Amie Thomasson e a concepção ontológica de Arthur Danto a respeito das obras de arte, mostrando a base comum e as diferenças entre os dois pensadores. A base comum é que ambos pretendem desenvolver uma ontologia da arte que não exclua nenhuma manifestação empírica de arte. A diferença principal é que Thomasson, ao contrário de Danto, não elabora uma definição de arte. Pretende-se mostrar que o conceito de “mundo da arte”, modelado por narrativas históricas, é o que torna a teoria de Danto mais bem sucedida em relação à de Thomasson para a apreensão do conceito de obra de arte, além de mais apta para abordar a peculiaridade da arte contemporânea.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista ArteFilosofia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ArteFilosofia - Publicação Semestral

Revista de Estética e Filosofia da Arte do Programa de Pós-graduação em Filosofia - UFOP

ISSN: 2526-7892 (on-line)

ISSN: 1809-8274 (impresso)

Qualis CAPES: B1 (Filosofia)

Endereço de contato: artefilosofia.defil@ufop.edu.br 

ArteFilosofia – Biannual Journal

Journal of Aesthetic and Philosophy of Art. Graduation Program on  Philosophy – UFOP

ISSN: 2526-7892 (on-line)

ISSN: 1809-8274  (print)

Qualis CAPES: B1 (Philosophy)

Contact: artefilosofia.defil@ufop.edu.br